Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
9/11/23 às 9h00 - Atualizado em 9/11/23 às 10h05

Aberto processo seletivo com 380 vagas para residências uniprofissional e multiprofissional

COMPARTILHAR

O edital prevê etapas como prova objetiva, análise curricular e seleção de cenário de ensino

 

Natalia Oliveira, da Fepecs

 

A partir da próxima segunda-feira (13), profissionais de saúde de diversas categorias vão ter a oportunidade de se candidatar aos programas de residência nas modalidades uniprofissional e multiprofissional. Ao todo, o processo seletivo oferta 380 vagas, sendo que 38 delas são reservadas para pessoas pretas, com deficiência e indígenas.

 

A Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde (Fepecs) e a Escola Superior de Ciências da Saúde (Escs) são as instituições formadoras responsáveis pelos programas, custeados pela Secretaria de Saúde (SES). Este ano, o processo seletivo está sob responsabilidade do Instituto Americano de Desenvolvimento (Iades), que vai elaborar a prova objetiva e realizar a avaliação curricular dos candidatos.

 

Reconhecida como uma formação de padrão ouro, a residência em área profissional foi instituída pela Lei 11.129/2005, e busca integrar o mundo acadêmico com o do serviço. Diferente da residência médica, os programas uniprofissional e multiprofissional abrangem três ou mais categorias profissionais como enfermagem, nutrição, fisioterapia , dentre outras. Isso porque nos cenários de prática, que são os hospitais da rede pública do DF, os profissionais são treinados para enfrentar as mais variadas situações, e, após concluir a residência, estão preparados para trabalhar em hospitais públicos ou privados de qualquer local do país.

 

Entusiasta dos programas, a vice-coordenadora da residência multiprofissional Helicínia Espíndola, conta que “a partir do processo seletivo, há a oportunidade de profissionais de saúde ingressar no SUS para se qualificarem numa modalidade de especialização de excelência”. Outro aspecto positivo, segundo ela, é “a contribuição para melhora dos serviços prestados na SES”, além de influenciar favoravelmente “a assistência, a saúde, o ensino e a pesquisa no SUS”, finaliza.

 

No edital deste ano, algumas novidades foram inseridas ao programa de residência multiprofissional, que passa a contar com especialização nas áreas de concentração de anomalias dentofaciais; reabilitação cognitiva, e vigilância epidemiológica, nas categorias profissionais de biologia e medicina veterinária, que ainda não eram contempladas. Além dessas áreas, no programa uniprofissional, a radiologia odontológica também está sendo oferecida de maneira inédita.

 

Inscrições e fases

 

As vagas para os programas estão divididas nas modalidades uniprofissional e multiprofissional, cada uma com sua área de concentração. Para se inscrever, o candidato deve indicar o programa de interesse e observar os pré-requisitos necessários, como documentação e assinatura do termo de dedicação exclusiva, não podendo exercer outras atividades profissionais no período da residência.

 

Para concorrer a uma das vagas, o interessado passa por duas fases de avaliação. Na primeira, é submetido a uma prova objetiva, de caráter eliminatório e classificatório e, posteriormente, fica sujeito à análise curricular, com caráter apenas classificatório. Na segunda fase, há a seleção do cenário de ensino.

 

O período de inscrição terá início no dia de 13 de novembro e fica aberto até 7 de dezembro, no site do Iades. Para ter a inscrição efetivada, é preciso pagar a taxa estabelecida pelo edital, no valor de R$ 149. A prova objetiva está prevista para o dia 16 de dezembro.

 

Benefícios e importância

 

Os programas de residência têm carga horária semanal de 60 horas, e podem ser concluídos em dois ou três anos, a depender da especialização do candidato. Durante esse período, os residentes são beneficiados com uma bolsa de R$ 4.106,09. Além disso, residentes da SES também recebem auxílio-moradia, no valor de R$ 1.231,82.

 

Sobre o aprendizado proporcionado pelos programas, a coordenadora dos cursos de pós-graduação lato sensu e extensão da Escs, Vanessa Dalva Guimarães Campos destaca a importância da residência multiprofissional, visto que “pelo menos três categorias profissionais realizam treinamento em serviço no cenário de prática, de forma a qualificar o cuidado aos pacientes baseado na interprofissionalidade”. Segundo ela, “esses treinamentos supervisionados por preceptores auxiliam no aperfeiçoamento do serviço e garantem que os pacientes sejam assistidos em sua integralidade”.

 

Esse processo seletivo é muito aguardado pelos profissionais de saúde e “chega a ter cinco mil candidatos inscritos por ano”, afirma Vanessa. A coordenadora ressalta que “é uma grande oportunidade, pois se trata de uma pós-graduação lato sensu, com 12 categorias profissionais contempladas”.

 

Aos candidatos ansiosos por uma vaga, é necessário ter em mente que o programa de residência exige dedicação, esforço e vocação, pois, de acordo com a coordenadora, “a residência promove verdadeira integração entre ensino, serviço e comunidade”.

 

Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde - Governo do Distrito Federal

FEPECS

SMHN 03 - conjunto A - bloco 1 - Edifício FEPECS
CEP: 70701-907