Estudantes de enfermagem do Estágio Curricular Obrigatório elaboram e implementam fluxograma

de atendimento à gestante em trabalho de parto em UBS

De acordo com o interno de enfermagem, José Carlos, a Unidade Básica de Saúde não é o serviço de escolha para tal conduta, mas a UBS contém um histórico relacionado à assistência ao parto e caso aconteça novamente, que seja de forma qualificada, segura e humanizada.

 

Estudantes de enfermagem do Estágio Curricular Obrigatório da Escola Superior de Ciências da Saúde (ESCS), mantida pela Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciência da Saúde (FEPECS) acompanharam um trabalho de parto na Unidade Básica de Saúde. Os profissionais de saúde relataram que episódios semelhantes já haviam acontecido anteriormente. Após problematização da vivência e utilização do método do Arco de Charles Maguerez, foi implementado o fluxograma de atendimento com ações necessárias para a assistência humanizada às gestantes em trabalho de parto.

A ferramenta sistematiza as condutas a serem seguidas desde o acolhimento até a remoção da parturiente para outro ponto da rede de atenção à saúde. Além de conduzir em um ambiente seguro e acolhedor a mãe e o recém-nascido, caso o parto ocorra no próprio local. Os estudantes foram supervisionados pelas docentes Dayanne Letícia e Cláudia Cabral.

Para o interno de enfermagem da ESCS/FEPECS, a assistência prestada foi um a forma de retribuir o aprendizado que o serviço fornece aos estudantes diariamente.

"A elaboração do fluxo de assistência ao parto surgiu a partir de uma vivência na unidade, a qual proporcionou conhecimento para nós, estudantes, e também permitiu que pudéssemos retribuir de forma significativa pelo aprendizado que o serviço fornece diariamente. Sabemos que a Unidade de Saúde não é o serviço de escolha para tal conduta, mas a Unidade contém um histórico relacionado à assistência ao parto e caso aconteça novamente, que seja de forma qualificada, segura e humanizada”, destacou José Carlos Pacheco, interno de enfermagem da ESCS/FEPECS.

O estudante Nathan Reis declarou que o projeto de intervenção vai garantir que os profissionais se sintam mais seguros na assistência ao parto.

"Esperamos que com esse projeto de intervenção, os profissionais se sintam mais seguros na assistência ao parto, além de que, o referenciamento para a atenção terciária, seja realizado da melhor forma possível, garantindo um cuidado integral”, afirmou Nathan Reis de M.Ramon, interno de enfermagem da ESCS/FEPECS.