Estudantes de Enfermagem da Escs falam sobre dengue em post educativo para mídia social

O objetivo das estudantes da  série é produzir imagem autoexplicativa e de fácil entendimento para a população do DF

Com uma nova estratégia de aprendizagem por meio de atividades remotas, proposta pela docente Paôla Silva da 3° série do eixo de Habilidades Profissionais do Curso de Graduação de Enfermagem da Escola Superior de Ciências da Saúde, mantida pela Fundação de Ciências da Saúde (Escs/Fepecs), as estudantes Amanda Oliveira, 22 anos, e Valéria Slongo, 21 anos, criaram posts educativos para o instagram que abordam tema sobre a Dengue. 

O objetivo, segundo as estudantes, é criar posts com imagem autoexplicativa, de fácil entendimento, visando proporcionar conhecimento aos usuários acerca do diagnóstico de dengue.  

“Nosso objetivo maior é trazer visibilidade para este tema, pois, com a pandemia que estamos vivenciando do novo coronavírus, a dengue está ficando esquecida e os casos só aumentando”, ressalta Amanda.  

“É de suma importância que busquemos estratégias que chamem a atenção da população para os cuidados e para prevenção da dengue, mas também, para identificar os possíveis sinais e sintomas que os indivíduos venham a apresentar e que necessitam de uma intervenção mais imediata para evitar o agravamento do quadro, sendo a rede social um dos meios mais eficientes encontrados nesse momento”, explica Valéria. 

Educação remota – Diante da nova realidade da pandemia da Covid-19 e a suspensão das atividades educativas presenciais, docentes tiveram que pensar uma nova estratégia de aprendizagem por meio de atividades remotas. 

A proposta é utilização de ferramentas educativas como as realizadas pelas estudantes. O material produzido é divulgado no Youtube (ESCS Enfermagem em Ação) e no instagram (@divulguescs) para serem utilizados na educação em saúde da comunidade local.

“Este é um momento muito desafiador para todos nós, discente e docente, mas com empenho e dedicação de todos está fluindo de modo agradável, ainda mais porque, docentes, como a Paôla Carvalho, estão buscando diversas formas de inovar e fazer com que a aprendizagem seja significativa. E, foi a partir da proposta dela de criar materiais educativos, que foi evidenciado que as aulas remotas podem sim dar certo”, declararam as estudantes Amanda e Valéria. 

Texto: Renata Madeira – Ascom Fepecs

Arte: Demetrius Carvalho – Gerav-UAG/Fepecs