Eapsus e Gerpis promovem o 1º Encontro de Educação em Atoss do semestre

60 servidores participaram da educação permanente em Tai Chi Chuan

O 1º Encontro de Educação em Ações Temáticas Orientadas ao Serviço de Saúde (Atoss) sob o tema Coração-mente: benefícios do Tai Chi Chuan para a Saúde Mental, reuniu 60 servidores e facilitadores da prática integrativa nas unidades de saúde do Distrito Federal, em Taguatinga, na semana passada (13). O evento foi promovido pela Escola de Aperfeiçoamento do Sistema Único de Saúde (Eapsus), escola da Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde (Fepecs), em parceria com a Gerência de Práticas Integrativas da Secretaria de Saúde do Distrito Federal (Gerpis/Ses-DF).

O encontro é o primeiro de cinco encontros nesse semestre, acontece mensalmente e tem o objetivo de treinar e aperfeiçoar a técnica do Tai Chi Chuan junto aos facilitadores, que oferecem o serviço à comunidade e a outros servidores da saúde, além de trazer discussões mais aprofundadas sobre a medicina tradicional chinesa e as práticas integrativas do Sus-DF.

Parceria - A Eapsus é responsável pela coordenação pedagógica, enquanto a Gerpis desenvolve a coordenação técnica. De acordo com a organização do encontro, esses eventos mensais são importantes porque proporcionam a troca de experiência, além da vivência da prática com a participação de convidados externos que oferecem aulas específicas para o aprimoramento da técnica. A coordenadora pedagógica da Eapsus, a servidora Adelyany Batista dos Santos, desenvolve esse trabalho junto ao servidor e coordenador técnico da Gerpis, Aristein Tai Shyn Woo, desde 2016.

“Trazer esse olhar pedagógico para a prática integrativa é uma oportunidade para as instituições envolvidas na qualificação dos facilitadores da prática do Tai Chi Chuan nas unidades de saúde. Ademais, é uma oportunidade para a Escola Eapsus observar o amadurecimento desse processo educativo ao longo dos anos da nossa participação. Hoje, temos uma maior clareza das dificuldades que são vivenciadas e conseguimos levar inovações do ponto de vista educativo. O nosso desafio é continuar dando sentido pedagógico a esse processo educativo”, explicou Adelyany.

Práticas integrativas - Tem como missão o desenvolvimento, a gestão e a produção de conhecimento na área das Práticas Integrativas em Saúde – PIS, no âmbito do SUS-DF, com foco na prevenção das doenças, promoção, proteção, recuperação e reabilitação da saúde, na integralidade e humanização do cuidado à saúde e no exercício da clínica ampliada. São várias práticas integrativas ofertadas, como acupuntura, automassagem, arteterapia, entre outras.

Saiba mais pelo link http://www.saude.df.gov.br/praticas-integrativas/ e veja onde são oferecidas as práticas integrativas por cidade.