DiretorEventoOPASredEspecialização promovida pelo Sírio-Libanês e MS atende 20 regiões do país

A Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde (Fepecs), por meio do diretor executivo Marcos de Sousa Ferreira, participou, nesta quinta-feira (5), do segundo dia de diálogos do Projeto de Gestão de Políticas de Saúde Informadas por Evidências, promovido pelo Sírio-Libanês e Ministério da Saúde (MS), em parceria com o Departamento de Ciência e Tecnologia da Secretaria de Ciência e Tecnologia e Insumos Estratégicos (Decit/SCTIE/MS), no âmbito do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (Proadi/SUS). A Fepecs faz parte da Comissão Gestora local formada por diversos atores estratégicos que participam de todo o processo de construção do projeto.

“A Fepecs tem sido uma grande parceira nossa desde o início, tanto na questão da infraestrutura como na divulgação do projeto, dando suporte nas atividades”, apontou a apoiadora e facilitadora do Projeto em Brasília, Márcia Ogata, que é professora da Universidade Federal de São Carlos.

O projeto, que é desenvolvido em mais de 20 regiões do país, é voltado para qualificar a gestão de políticas de saúde por meio do uso do conhecimento científico no processo decisório, visando à melhoria do SUS. Direciona-se a trabalhadores da saúde, gestores, pesquisadores e também usuários, que fazem o controle social da saúde. Esses atores desenvolvem ao longo da especialização, iniciada em março deste ano, sínteses de evidências de problemas afetos à realidade local do Distrito Federal.

“O curso termina em abril, mas temos o compromisso até outubro de 2020 de implementar as opções de solução do problema que estão sendo debatidas aqui e de monitoramento dessa implementação. Esses dias de diálogo é uma oportunidade para saber se o problema está bem caracterizado, quais as opções de enfrentamento do problema, quais os benefícios ou barreiras para a implementação e quais estratégias devemos utilizar”, disse Márcia.

Os temas, Dengue em Brasília, a Super Lotação de Urgências em um Hospital Público do DF, um com foco indoor e outro com foco outdoor ao serviço de urgência, e a Qualificação no Atendimento da Atenção Primária são algumas das sínteses de evidências apresentadas nos diálogos, informados por revisões sistemáticas, realizados na quarta (4) e quinta-feira (5), no auditório da Organização Pan Americana da Saúde (OPAS), que contou com a facilitação da pesquisadora em Saúde Pública da Fiocruz do Rio de Janeiro, Regimarina Soares Reis.